A importância da presença da família para o tratamento do câncer.


Presença da família no pós-diagnóstico


Receber o diagnóstico de uma doença como o câncer não é fácil e assusta todos os pacientes. Ainda que o problema seja descoberto precocemente e tenha grandes chances de cura, a maioria dos homens sofre grande impacto psicológico. Além do susto inicial, surgem sentimentos de raiva, medo, insegurança, ansiedade, negação e, no fim de tudo, a aceitação.


Para lidar melhora com o câncer prostático aconselhamos o paciente a informar os familiares sobre a doença. A família pode fazer toda a diferença para o tratamento do paciente. Dividir os medos e angústias com entes queridos facilitam a superação do problema.


Ao estar acompanhado de um familiar durante as consultas, o paciente se sente amparado e tranquilizado. O suporte emocional e psicológico de um ente querido ajuda a encarar a situação sob um outro ponto de vista.


Mas e quando a família reage negativamente à notícia? Nesse cenário, é recomendado que todos, juntos, sejam preparados por uma equipe médica de urologistas e até psicólogos. Afinal, se uma família é movida à ansiedade e ao medo, todos adoecem juntos e comprometem o tratamento ao questionar diagnósticos e condutas médicas.


Como falar do câncer de próstata para os filhos?


Isso também é uma parte importante a ser pensada pelo paciente e por outros familiares. No geral, os filhos nunca devem ser deixados à margem do que acontece com os pais ou avós, ainda mais em questões de saúde.

No entanto, a conversa e os esclarecimentos sobre o câncer envolvendo as crianças precisam ser pautados por um clima de confiança e tranquilidade. Em muitos casos, os filhos recebem a notícia de uma forma menos densa e com um grau maior de positividade. O que, para os pacientes, gera conforto e segurança a fim de seguir o tratamento e passar pela cirurgia.


Diálogo aberto entre marido e mulher é indispensável no tratamento do câncer de próstata


O diagnóstico de câncer prostático pode ser um fator de aproximação ou de afastamento entre os casais. Se o casal já tinha muito amor, parceria e cumplicidade, as chances de o vínculo aumentar durante o tratamento são grandes.

No entanto, é essencial que o acompanhamento saiba respeitar a autonomia do paciente, não transformando o apoio e a atenção em hospitalismo exagerado.

Por outro lado, muitos casais tendem a se distanciar, principalmente quando a relação já está desgastada. Especialmente em casos mais avançados e é necessário um cuidado extra.


Por isso, é fundamental manter uma conversa franca e aberta, inclusive com a participação de um médico urologista. Assim, o especialista estará presente para eventuais esclarecimentos sobre como o câncer afeta a vida sexual dos parceiros. Afinal, o câncer de próstata tem cura e o primeiro passo é um diagnóstico precoce.


Sobraram dúvidas sobre o tratamento do câncer de próstata ou sobre formas de abordar o assunto com seus entes queridos? Então entre em contato conosco para agendar sua consulta e tire as dúvidas que restaram!



Lembre-se que a consulta médica não deve ser substituída por nenhuma informação escrita.




Para agendamento, entre em contato:

Dr. Humberto Montoro

Instituto de Urologia de Maceió

(82) 3241 - 3000

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo