A masturbação masculina: é prejudicial?




O que é Masturbação?


Masturbação é o ato da estimulação dos órgãos genitais, manualmente ou por meio de objetos, com o objetivo de atingir prazer sexual, seguido ou não de orgasmo. É uma prática sexual sem penetração, que pode ser praticada pelo próprio indivíduo, por outra pessoa, com ou sem a presença da(o) parceira(o).


A história da Masturbação


Anterior ao período Cristão, era considerado natural, porém, por motivação religiosa, ficou muitos anos como sendo associado ao pecado e, portanto, proibido pela Igreja Cristã, aliás como todo ato sexual, que não fosse com o intuito de reprodução da espécie.


Os Indianos tinham a crença de que a masturbação acarretava perda de energia vital e evitavam a prática para se sentirem mais fortes. O esperma era considerado o elixir da vida e deveria ser conservado dentro do corpo o maior tempo possível. Veio daí a crença de que a masturbação poderia deixar as pessoas fracas e levá-las até a morte.

Na Grécia Antiga, de moralidade sexual muito livre, comparada à Ocidental atual, a masturbação era um ato sexual visto com certa naturalidade, ainda que a prática fosse alvo de chacota entre as classes mais abastadas.

Para os gregos, um homem de classe superior não precisaria se masturbar, devido às alternativas sexuais que tinha: escravas, prostitutas e mulheres de classes inferiores. No Império Romano, a visão era semelhante.


A condenação à masturbação, mesmo por parte de médicos, esteve sempre presente, especialmente nos Séculos XVII a XIX. Era vista como uma doença que provocava distúrbios do estômago e da digestão, perda do apetite ou fome voraz, vômitos, náuseas, debilitação dos órgãos respiratórios, tosse, rouquidão, paralisias, até impotência sexual e falta de desejo sexual.


A masturbação atualmente


No final do século XX foi criado um consenso por profissionais de saúde de que a masturbação é sadia, e com o advento da especialização acadêmica da medicina sexual, o ato é defendido por especialistas como parte do desenvolvimento sexual de uma pessoa normal.


A ideia antiga de que a masturbação seria um modelo de substituição ao sexo pelos homens, e de complementação às mulheres, não é mais verdade absoluta.

Na realidade, o desejo sexual acima da média foi o fator mais importante associado a masturbação para ambos os sexos.


Na minha opinião e de vários especialistas:

A masturbação é saudável e não faz nenhum mal, desde que não extrapole o bom senso e não seja a única atividade sexual do indivíduo.

Alguns homens acabam por “viciar o cérebro” sempre com o mesmo estímulo, seja filme pornô ou outras fantasias sexuais para conseguir atingir a excitação e orgasmo. Quando se deparam com a parceira, não conseguem uma ereção satisfatória e, alguns, não conseguem atingir o clímax durante a penetração.


Lembre-se que a consulta médica não deve ser substituída por nenhuma informação escrita.


Para agendamento, entre em contato:

Dr. Humberto Montoro

Instituto de Urologia de Maceió

(82) 3241 - 3000

31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo