top of page

Urologia feminina: você sabe o quê é?


Você não leu errado: a urologia feminina é sim uma realidade, apesar de pouco comentada nestes termos, e médicos urologistas podem atender tanto homens quanto mulheres. Entenda mais sobre o assunto a seguir!

O que é urologia feminina?

É o ramo da Urologia que avalia e trata as doenças do trato feminino e que podem acometer rins, ureter, bexiga e uretra, como infecção urinária (cistite), cálculo renal, vontade repentina de urinar, perda constante de urina, tumores, entre outras. Apesar de serem compostos pelos mesmos órgãos, há diferenças anatômicas entre o sistema urinário dos homens e o das mulheres que facilitam o desenvolvimento de algumas patologias para um determinado gênero. Por exemplo: a uretra feminina é menor, o que faz com que elas tenham predisposição a ter infecção urinária. Estudos afirmam que cerca de 50% das mulheres terão, ao menos, um quadro infeccioso durante suas vidas.

Quais doenças a urologia feminina trata?

A infecção urinária pode ser causada quando uma bactéria, fungo, vírus ou outro parasita que afete a bexiga ou a uretra. Essa patologia, que acomete em grande maioria as mulheres, como citamos acima, pode ser sintomática ou assintomática, e possui dois tipos principais:

  • Cistite: infecção do trato urinário baixo;

  • Pielonefrite: infecção do trato urinário superior.

Além do fator anatômico, que facilita a entrada de bactérias no trato urinário feminino, existem algumas outras causas que podem influenciar no aparecimento dessa doença, como: relação sexual sem proteção, menopausa, uso prolongado de absorventes e fraldas.

Quais são os principais sintomas da infecção urinária?

  • Dor na pelve;

  • Vontade de urinar com maior frequência;

  • Dor ou ardência para urinar;

  • Sangue na urina.

Como é feito o diagnóstico e o tratamento de infecção urinária?

O exame de urina é solicitado pelo médico para avaliar se há ou não bactérias presentes na amostra, e de qual tipo. Já o tratamento é feito com antibióticos.

Outra doença do trato feminino é o prolapso genital, que ocorre quando os órgãos do trato urinário (principalmente a bexiga) perdem a sua sustentação e caem, ficando mais próximos da vagina do que deveriam. As principais causas que levam a um quadro desta patologia são: gravidez, obesidade, tosse crônica, obstipação crônica, exercícios físicos intensos ou sem orientação adequada; trauma no parto vaginal; menopausa; deficiência de colágeno.

Quais são os principais sintomas do prolapso genital?

  • Protuberância vaginal que pode ser vista ou sentida;

  • Dores na área pélvica;

  • Sensação de bola na vagina;

  • Fraqueza dos músculos

Como é feito o diagnóstico e o tratamento do prolapso genital?

A confirmação da doença é feita pelo exame físico especializado, principalmente na quantificação do prolapso pelo método POP-Q. Pode ser necessário também a realização de uma ultrassonografia transperineal ou ressonância magnética. O tratamento direcionado pelo urologista deve incluir mudanças no estilo de vida da paciente, como diminuição de peso, dieta balanceada e exercícios físicos orientados, além de fisioterapia de assoalho pélvico, uso de pessário (dispositivo colocado intravaginal que pode ser manipulado pela paciente) ou cirurgias.

A incontinência urinária é outra doença que pode ser tratada pelo urologista, e que acomete cerca de 30% das mulheres em idade reprodutiva. Essa patologia se caracteriza pela perda involuntária da urina pela uretra.

Alguns fatores que contribuem para o aparecimento dessa doença são: gravidez e parto; tumores malignos ou benignos; doenças que comprimem a bexiga; obesidade; tosse crônica; bexigas hiperativas e procedimentos cirúrgicos.

Quais são os principais sintomas da incontinência urinária?

  • Perda de urina quando a pessoa tosse, ri, faz exercício, movimenta-se;

  • Vontade súbita de urinar;

  • Incontinência que ocorre durante o sono;

  • Impossibilidade de controlar a perda de urina.

Como é feito o diagnóstico e o tratamento da incontinência urinária?

Além dos sintomas, o exame de urodinâmica, que mede o enchimento e o esvaziamento vesical, pode auxiliar a diagnosticar a doença. Já o tratamento pode ser cirúrgico em alguns casos. Em outros, exercícios que ajudam a reforçar a musculatura do assoalho pélvico podem ser recomendados, além do uso de medicamentos e fisioterapia.

Não importa o gênero: ter um urologista como aliado da sua saúde é muito importante para garantir mais qualidade de vida. O Instituto de Urologia de Maceió está de portas abertas para cuidar de você. Marque sua consulta pelo site, telefone ou WhatsApp.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Yorumlar

Yorumlar Yüklenemedi
Teknik bir sorun oluştu. Yeniden bağlanmayı veya sayfayı yenilemeyi deneyin.
bottom of page